Cultura

  • O FOLCLORE
        Jaicós é muito rico em manifestações folclóricas. Em termos de cultura folclórica, a contribuição de elementos formadores básicos da cultura brasileira dão estrutura às danças e os folguedos, à religiosidade sincrética, às técnicas populares ao linguajar e a todas as demais manifestações culturais do povo.

     

  • DANÇAS
        Roda de São Gonçalo, é uma festa de caráter religioso. Duas fileiras de homens e mulheres se colocam na frente ao altar do Santo. Movimentam-se em forma de círculo, em forma de "cruzeiro" (cruz), reverenciando o santo e beijando o altar. O canto é acompanhado de rabeca, violão, pandeiro e às vezes zabumba. Aqui em Jaicós, os homens batem em pequenas cuias, enquanto dançam as 12 "jornadas" da roda, sob a direção das guias, mestre e contramestre.

     

  • QUADRILHA JUNINA
        Dançada nas Festas de São João e São Pedro. A marcação e a coreografia evoluíram tanto que já não tem nada a ver com a quadrilha de antigamente. José é uma espécie de forró organizado com garni movimentação dos pares, dos cordões etc. Apresenta um verdadeiro espetáculo visual moderno. Tantos adultos, como jovens e crianças participam da quadrilha junina.

     

  • DANÇAS MATUTAS
        São todas dançadas nos forrós, nos bailes do interior e nas festas de terreiro: xote e baião. Para ser autêntica deve ser composta de sanfoneiro, zabumba, de padeiro, de instrumentos de corda e triângulo.

     

  • FOLGUEDOS
        Bumba-Meu-Boi

        É o folguedo mais característico conta a estória da Catarina, mulher de Chico vaqueiro, que estando grávida desejou comer a língua do boi mais bonito da fazenda. Catirina, induz o marido a matar o boi. Chico chega a ferir ou matar o boi. A notícia se espalha e o fazendeiro dono do boi procura o autor do crime. Chico é acusado. Vários doutores são chamados para curar o boi. Depois de muita confusão, há julgamento e perdão, termina tudo com muita festa e danças, comemorando a cura do boi.

        Os personagens que participam do boi são os seguintes: O Amo (dono do boi, este é substituído pela Dona Maroquinha, que é a fazendeira dona do boi). Esta representada por um garoto vestido de mulher. O Mestre e o Contra-Mestre dirigem a brincadeira. E tem mais o alfares, sargento, médico, os caboclos guerreiros (índios), os caboclos reais (muito enfeitados), os vaqueiros, o negro Chico, sua mulher Catirina e os demais brincantes que formam os cordões. Na brincadeira de boi a mulher não entra, só aplaude.

     

  • REISADO
        Constitui, ao lado do Bumba-meu-boi, um dos mais originais folguedos folclóricos. Sai na época do Natal e termina do dia de Reis, 06 de janeiro. O Reisado é composto dos seguintes personagens: Os caretas (de 4 a 6 pessoas), a burrinha, o boi, o Jaraguá, a cigana, a ema, a arara, o caipora e o cabeça-de-fogo, etc. Cada componente se apresenta ao som de sua respectiva música. Estas canções são executadas por um pequeno coro formado por mulheres e acompanhados por uma orquestra (violas, rabecas, banjos, violões, pandeiros, maracás e sanfona).

     

  • PASTORIL
        O nosso Pastoril ou pastorinha é composto de duas filas de pastorinhas, com vestidos longos (saia e blusa), torço na cabeça e muitos colares e algumas personagens como as ciganas, a florista ou a borboleta. O cortejo sai pelas ruas e dança nas casas de família no período de 23 de dezembro a 06 de janeiro. Ao chegar à casa, a porta deve estar fechada e só abrirá depois do canto de chegada. As ciganas lêem as mãos das pessoas, as floristas vendem suas flores e as princesas vendem fitas da cor de seu respectivo cordão. A dona da casa oferece bolinhos e licores caseiros. Depois dos diversos bailados, canta-se a despedida e o cortejo para outra casa.

     

  • LENDAS
        A lenda existente no Município de Jaicós, refere-se ao Morro dos Três Irmãos.

        Sendo a lenda, um dia, três irmãos caçadores de abelhas saíram para caçar, quando de repente foram surpreendidos por uma forte tempestade. Os três resolveram se abrigar,dentro de uma furna no morro. A tempestade fez derrapar uma grande pedra, coincidentemente onde eles se encontravam. Os três irmãos morreram sufocados, sendo encontrados dias depois.

        Diante deste fato e do local ser constituído por três morros, o lugar ficou conhecido como Morro dos Três Irmãos.

     

  • CULINÁRIA TÍPICA

     

    • Comidas Tradicionais
      * Baião-de-dois
      * Maria-Isabel
      * Arroz com galinha ou guiné
      * Arroz com costela
      * Paçoca
      * Carne-de-sol (gado ou criação)
      * Mão-de-vaca
      * Panelada
      * Guisadão
      * Sarapatel
      * Mugunzá
      * Arroz doce
      * Mingau de puba

       

    • Bolos
      * Beiju de coco
      * Bolo frito
      * Pamonha
      * Cuscuz

       

    • Bebidas
      * Umbuzada
      * Cajuína
      * Batidas: Mistura de cachaça com suco de frutas.

       

  • ARTESANATO
        É a expressão da cultura de um povo. Cada peça confeccionada demonstra a vivência, os costumes e as crenças. O artesanato pode ser considerado como utilitário, artístico, ornamental ou religioso. Os materiais utilizados pelo artesão são: fibras (esteiras, chapéus, cestas), Flandre (bacias, funis, tubos, lamparinas), tecidos (redes, tapetes), Couto (chapéus, cordas, chicotes, sandálias), linha (coberta, toalha) e madeira (esculturas de santos e brinquedos.).

     

  • TEATRO

FONTE: Pesquisa realizada por alunos do curso de História da UESPI - enviado por Otávio José Veloso